Mercado imobiliário encerra 2020 bem mais aquecido e com resultados melhores que o último ano


O ano de 2020 não foi fácil para ninguém, não é mesmo? As pessoas, assim como o país sofreram muitas mudanças e o mais surpreendente foi que mesmo nesse cenário atípico o setor imobiliário se manteve em destaque e aquecido com resultados melhores que o último ano.

Com as taxas de juros e os grandes volumes de imóveis disponíveis, quem comprou ou vendeu imóvel no ano passado tem a certeza de que fizeram um bom negócio. Pagando menos pelo financiamento, os consumidores puderam investir mais no sonho da casa própria e o setor imobiliário, que esperava queda nas vendas devido à condição atual da pandemia da Covid-19, se surpreendeu ao ver os números positivos dispararem.

A procura foi tanta que até empreendimentos que estavam desde 2018 com algumas unidades ainda disponíveis foram todas vendidas em plena pandemia. O que gerou resultados em negócios fechados 30% maiores do que em 2019.

Em decorrência do isolamento social ocasionado pela Covid-19, novos hábitos foram criados pelos consumidores, e o principal deles foi passar mais tempo em casa. Isso foi um fator determinante para que dois tipos de perfis de compradores se destacassem.

Os dois perfis destacaram pessoas que não estavam morando bem, o primeiro, por passarem mais tempo com a família, notaram que precisavam de mais espaço. Já o segundo perfil foi o oposto, pessoas que perceberam que poderiam morar em um imóvel mais compacto. 

Então, vantagens como parcela fixa, benefícios de financiamento e valorização do imóvel de 30% a 40%, se tornaram razões diretamente responsáveis por esse impacto positivo no mercado imobiliário.

A grande procura por imóveis no ano de 2020 deve refletir também nesse ano, já que o setor pode ficar desabastecido caso o mercado continue tão aquecido.